sábado, 9 de abril de 2011

"Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas"

“Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas” é um dos filmes mais encantadores que já assisti. Méritos para Tim Burton que, com maestria, promove um universo fantástico de encher os olhos e ilumina a mente do espectador mostrando a necessidade de estimular a imaginação e a criatividade.

Toda a fantasia narrativa se deve a figura egocêntrica de Edward Bloom, que conta a história de sua vida de maneira mística, heróica e divertida. Seus exageros encantam a todos, menos o filho Will, que não acredita em suas fábulas. Quando Bloom está prestes a morrer, Will o acompanha de perto e acaba se envolvendo num exercício de respeito, amor e reconhecimento.

Apesar de previsível, o roteiro de John August, baseado no livro de Daniel Wallace, investe na estrutura narrativa em flashback semelhante ao de “Forrest Gump”, o que favorece destrinchar a imaginação do protagonista (e seus fabulosos personagens) e interagi-la com a realidade de maneira sensível e eficientemente tragicômica. Além disso, o tom poético fortalece a utilização da metalinguagem e valoriza o desenvolvimento da temática principal.

O filme é um prato cheio para Tim Burton colocar em prática seu talento artístico. Esteticamente, o longa é espetacular. A bela fotografia, a direção de arte criativa e os bons efeitos gráficos proporcionam ambientes ora sombrios ora alegres e ajudam na criação da atmosfera dramática.

Enfim, “Peixe Grande” é um trabalho ímpar de Burton. Impossível não se emocionar em seu clímax que conclui de forma mágica essa maravilhosa ‘história de pescador’. Destaques para as atuações de Albert Finney (Bloom idoso) e de Ewan McGregor (Bloom jovem).

Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas (Big Fish)
EUA, 2003 - 125 minutos
Drama / Aventura
Diretor: Tim Burton
Roteiro: Daniel Wallace (livro), John August
Elenco: Albert Finney, Ewan McGregor e Billy Crudup, Helena Bonham-Carter, Jessica Lange, Steve Buscemi, Danny DeVito, Faye Dunaway.
Trailer: clique aqui
Cotação: * * * * *

5 comentários:

Alan Raspante disse...

Acho esse filme incrivel. Burton em sua melhor forma. Creio que este seja o meu favorito de Burton, é difícil realmente dizer isso, já que gosto e [quase] todos :)

! Marcelo Cândido ! disse...

Ainda não encontrei ele em dvd mas voltarei à caça!!!

Cristiano Contreiras disse...

Como te disse, não sou fã de Burton, mas reconheço que ele é realmente criativo, principalmente no que exprime visualmente em suas narrativas cinematográficas.

De todos dele, esse filme é o que considero o melhor, o mais lindo e mágico, tão intenso que acho quase uma obra-prima. Sério mesmo.

E merecia melhor atenção no Oscar daquele ano, hein?

Abs

Rodrigo disse...

Gosto do Burton, e reconheço que ele já errou algumas vezes. Por isso quero ver esse muito filme. Abraços.

Hugo disse...

É um trabalho de uma sensibilidade extrema.

Destaque para o veterano Albert Finney e para Ewan McGregor, interpretando Edward Bloom em duas fases da vida.

A parte técnica também é fantástica, como em todas as obras de Burton.

Abrço

Outros filmes:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Críticas mais lidas